StatCtr

Monday, February 11, 2013

Livro 1 - Capítulo IV - Christian Grey e Anastasia Steele


CINQUENTA TONS DE CINZA POV - Christian Grey - em Português


Tradução: Neusa Reis                                  
Revisão/Edição: Beatriz Reis

CAPÍTULO 4
O CONTRATO



Eu abro a porta do passageiro do SUV Audi preto, e deixo Anastasia entrar. Ela desliza para dentro e eu fecho a porta. Eu vou para o lado do motorista, abro a minha porta, entro e ligo o carro. Eu a vejo pela minha visão periférica. Eu posso ver que uma miríade de emoções está passando por seu rosto. Ela parece perdida. Por duas vezes ela parece que vai dizer alguma coisa, mas ela pára.  Ela está afetada por nosso beijo. Isso não pode acontecer novamente sem ter sido programado. Perder o controle não está no meu vocabulário.

Eu reverto para fora da vaga e saio do estacionamento. Eu coloco música. começa a tocar. Seus olhos brilham, e ela sorri para mim. "O que estamos ouvindo, Christian? É maravilhoso!”

The Flower Duet - Delibes


"Sim, é. É uma peça da ópera Lakmé.” Eu digo a ela. Ela quer ouvi-la novamente, então eu coloco o MP3 player no modo repeat. Ela me pergunta se eu gosto de música clássica, e eu gosto, mas o meu gosto não se limita a elas.

"Meu gosto é eclético, Anastasia. Ele muda com o meu humor. Clássico, moderno, música coral de igreja, Tudor, de tudo... o que melhor se adequar ao meu humor no momento. E você?”
"Eu também!", ela é efusiva.

Em seguida, começa e ela ri, radiante com o reconhecimento. Meu celular toca, e eu mudo meu humor e volto para o meu modo negócios. Eu pressiono o botão Bluetooth do volante, "Grey" Eu digo bruscamente. É Welch. Ele diz que tem a informação que eu pedi. Isso seriam os detalhes do contrato que eu quero que Anastasia leia e espero que concorde.

Sex on Fire - Kings of Leon

"Tudo bem. Mande por e-mail para mim. Se você não tiver nada a acrescentar," eu digo, consultando.

"Não, senhor.", Ele responde. Eu desligo o telefone e a música vem de volta. Ela me dá o seu olhar "você é tão mandão" que eu começo a reconhecer. O telefone toca novamente, e desta vez é Andrea. "O NDA foi por e-mail para você, Sr. Grey", ela me informa.

"Ótimo. Isso é tudo, Andrea.” Eu digo e desligo. Assim que desligo, o telefone toca novamente, e desta vez é meu irmão Elliot.

"Ei mano! Você transou na noite passada?”

"Olá para você também, Elliot. Você está no viva voz, e eu não estou sozinho no carro,” eu deixo escapar um suspiro exasperado.

"Quem está com você?", Pergunta ele.

Eu digo-lhe que é Anastasia. Ele se alegra no telefone e cumprimenta Anastasia como se ele a conhecesse toda a sua vida.

"Hey, Ana!"

"Olá, Elliot", ela responde, timidamente.

"Kate falou-me muito sobre você, Ana!" Ele vibra e eu posso sentir seu sorriso no telefone.

"Espero que tenha falado tudo de  bom, Elliot", diz ela.

"Elliot, estou indo deixar Anastasia na casa dela. Você precisa de uma carona? "

"Yeah!"

"Eu vou ver você em breve, então", eu digo, porque  eu não quero que ele fique flertando com Anastasia. Eu sinto uma pontada súbita de ciúmes.

Anastasia me pergunta por que eu insisto em chamá-la pelo seu nome completo, do qual eu gosto. Muito. Eu simplesmente digo-lhe que é porque é o nome dela. Ela diz que prefere "Ana".

"Prefere?" Eu provoco. Ela cora como se eu a tivesse acariciado. Mas minha mente está ocupada, tenho que deixá-la saber que eu tenho regras. Quando eu chego mais perto de seu apartamento viro para ela e digo: "O que aconteceu no elevador não vai acontecer de novo sem ter sido programado, Anastasia."

É claro que eu gostaria de fazer muito mais do que isto, mas nos meus próprios termos. Muito, muito mais que isto... Ela parece magoada e decepcionada. Chegamos ao seu apartamento. Eu entro  em uma vaga e estaciono o carro. Ela fica emburrada, em silêncio. Um fluxo de rubor  passa por ela. Ela parece envergonhada quando meus olhos se estreitam para ela. O que eu pagaria para saber o que está acontecendo em sua mente!

Eu olho para ela com um sorriso lascivo e caminho para o lado da porta do passageiro para abri-la para ela. Ela sai do carro e murmura: "Eu realmente gostei da experiência do elevador", surpreendendo-me e alterando minha respiração audivelmente. Ela me deixa ficar lá chocado e imóvel por um minuto e com um olhar tímido de volta para mim, ela se afasta para seu apartamento. Eu reorganizo minha mente para conectar meus pés  com meu cérebro e eu acelero para alcançá-la.

Michael Jackson ft Britney Spears - The Way You Make me Feel

Entramos em seu apartamento para encontrar sua colega de quarto e meu irmão, juntos, parecendo muito  familiares, sorrindo um para o outro como idiotas e todos desarrumados. A colega de quarto me dá um olhar desconfiado de galinha mãe. Eu aprovo o olhar de proteção que ela tem para Anastasia, mas esse comportamento também vai de encontro a minha possessividade sobre Ana.

"Bom dia, Ana querida!" Ela diz, e quando ela se vira para me dar sua saudação de bom dia,  seu tom esfria vários graus. Respondo com um cumprimento com a cabeça "Miss Kavanagh," formalmente.

Meu irmão, sempre como a borboleta social que é, repreende-me para que eu a chame "Kate", então se vira para Anastasia radiantemente brilhando "Oi Ana!" E abraça-a, fazendo-me imediatamente ter ciúmes. Eu vejo que Anastasia, desajeitadamente, tenta retornar seu abraço, enquanto eu consigo um vislumbre dela mordendo o lábio. Isto  faz coisas em mim, especialmente quando ela está sendo quase apalpada pelo meu irmão, embora eu saiba que não é isso que ele está fazendo. Eu ainda não gosto de sua expansividade com ela. "É melhor irmos, Elliot," eu o apresso. "Tudo bem", ele diz, e volta-se para a sua garota, e mergulha-a para  baixo como se ele fosse Humphrey Bogart em Casablanca, e lhe dá um beijo longo e demorado,  que estranhamente me incomoda, ao ver a ansiedade de Anastasia,  enquanto ela está timidamente olhando para mim através de seus longos cílios. Quando ele diz "Laters, baby", sorrindo para Kate,  é a minha deixa para sair. Eu ando até  Anastasia lentamente e coloco  uma mecha de seu cabelo atrás da orelha. Ela engasga com o  contato,  enquanto eu sinto a corrente que flui entre nós,  constantemente,  outra vez. Eu quero pegá-la em meus braços, e estou usando todo o meu autocontrole para não dar-lhe um beijo que ela não vai esquecer e vai deixar seus lábios doloridos, lembrando-a de onde eu estive, tomando posse dela. No entanto, eu só passo o meu polegar em seu lábio inferior. A conexão,  embora limitada,  faz coisas em mim, me endurecendo. Eu não vou beijá-la, porque se eu fizer, eu vou perder o controle.

"Laters baby", murmuro,  copiando  Elliot. Ela sorri. "Eu vou buscá-la às oito."  Ela acena com a cabeça, e o idiota do meu irmão Elliot sopra um beijo para Kate como um adolescente apaixonado. Eu posso ver uma pontada de ciúme no rosto de Anastasia antes que ela vire as costas. Se você concordar com meus termos, esta noite, você vai ter mais do que um beijo profundo e gratificante, eu digo para ela silenciosamente. Aguarde... Só mais um pouco... Eu advirto a mim mesmo.

Quando  Elliot e eu caminhamos para o meu carro, ele está sorrindo de orelha a orelha.

"Eu estou apaixonado, mano! Kate é incrível! " Diz ele. Concordo com a cabeça, sem me preocupar em responder. Elliot, que dormiu com a maior parte de Seattle, apaixonado? Duro de acreditar. Sem esperar a minha resposta, ele diz, "Entããão?" Ele olha para mim com um brilho questionador. "Você fêz sexo?"

"Não!" Eu digo com firmeza.

"Huh", ele diz, "Eu pensei que você tinha me convencido de que não era gay na noite passada!", diz ele, sem vergonha.

"E eu não sou! Mas ela estava bêbada! Eu não me aproveito das garotas que não estão conscientes."

Ele sorri...

"Então, há esperança para vocês dois ainda?"

"Talvez. Muito cedo para dizer."

"Eu ouvi dizer que você vai buscá-la às oito", ele sonda.

"Sim", eu disse secamente.

"Você gosta dela? Eu nunca, nunca vi você com uma garota! Você não podia tirar seus olhos de cima dela. E não pense que eu não percebi que você repreendeu-me, com seu olhar fixo, quando eu dei-lhe um abraço", ele sorri. Eu cerro os dentes. "Pare de ser um mano puritano! Eu aprovo!"

"Como se você tivesse opção", eu sorrio. Eu mudo o tópico sobre ele, "então, como foi com a companheira de quarto? "

"Deliciosa! Incrível! Linda! Estou enamorado! Estou apaixonado , " ele suspira com os olhos brilhantes.

"Já?" Eu questiono cético.

"Bem, até agora, sim. Ninguém me cativou assim antes," diz ele seriamente. Esses são os meus sentimentos exatos para Anastasia, mas eu não digo nada. Elliot acrescenta: "Eu vou vê-la de novo!" Meus pensamentos se dirigem a Anastasia. Eu não posso esperar para a noite chegar. Chegamos de volta ao hotel em silêncio, cada um perdido em seus próprios pensamentos.

Eu tenho um monte de trabalho para fazer, mas eu não estou com vontade de fazer negócios hoje. Eu tenho que estar me movendo, estar ativo, se eu quiser conseguir atravessar o dia. Eu envio um texto para meu braço direito Ros,  do que eu quero que ela conclua. Eu ligo para minha assistente Andrea, e digo que ela não será capaz de encontrar-me durante todo o dia, e para segurar as minhas mensagens.

"Quais são seus planos para o dia, mano?" Pergunto a Elliot.

"Na verdade não fiz nenhum plano. O que você tem em mente? " Ele pergunta.

"Eu estava pensando em ir fazer uma caminhada na trilha de Riverside."

"Claro, eu tô dentro!", ele disse. Vai ser uma longa espera, e eu quero minha mente ocupada, meu corpo trabalhado, e com energia.

***

Voltamos da caminhada cerca de seis horas. Eu tomo um banho. Após Elliot ficar pronto, nós dois vamos comer alguma coisa. Quando acabamos voltamos para o meu quarto. Eu vou buscar Anastasia muito em breve.

"Você vai voltar para Seattle?" Pergunto a Elliot. Ele ri, "Querendo se livrar de mim rápido? Mas, na verdade, sim, eu preciso voltar aos negócios. Eu vou voltar para Seattle no sábado."

Eu concordo.

"Você está muito tenso, mano! Certifique-se de fazer sexo hoje à noite! Ele vai soltar você. " Ele me dá o seu maior sorriso. Se ele soubesse; mas não é assunto seu. Elliot recolhe suas poucas coisas do meu quarto de hotel, e eu aperto sua mão, dizendo: "Obrigado, cara, por me trazer roupas e ir para a caminhada comigo!", eu digo.

"A qualquer hora, mano! Valeu a pena a viagem! "Ele me dá o seu sorriso de menino,  me socando no  ombro e parte para Seattle.

Taylor e eu iremos pegar Anastasia no trabalho e nos dirigir para o heliporto. Chegamos cedo ao Clayton e esperamos que ela termine seu trabalho. Ela emerge pelas portas duplas de correr alguns minutos depois das oito horas. Assim que ela sai, eu saio do carro, e ando até ela calmamente, sorrindo calorosamente. Ela está de tirar o fôlego em seus jeans negros de corte baixo e camisa de cor clara. Tão simples, mas tão sedutora.

"Boa noite, Srta Steele," Eu respiro suavemente.

"Sr. Grey ," ela responde educadamente, balançando a cabeça. Eu abro a  porta do banco de trás do carro e a deixo subir. Ela cumprimenta educadamente Taylor, e Taylor responde de forma igual. Subo pelo outro lado do SUV, ao lado dela e seguro sua mão, dando-lhe um aperto suave. Eu sinto o choque da corrente que passa através de nós, e eu sei que ela sente a mesma coisa que eu. Eu sinto sua temperatura corporal subir. Eu pergunto-lhe como foi seu dia de trabalho.

"Muito longo", responde ela, com uma voz rouca, quase baixa demais para ouvir.

 "Foi um dia muito longo para mim também", eu digo a sério, sem ser capaz de me segurar. Ela mal consegue respirar ao me perguntar sobre o que eu fiz durante o dia, tentando se distrair do meu olhar intenso, e eu digo a ela que eu fui fazer uma caminhada com Elliot,  enquanto acaricio apenas os nós dos seus dedos, certificando-me de não tocar em nenhum outro lugar, aumentando sua ansiedade e conhecendo muito bem os efeitos sensuais disto. Eu sinto sua pulsação acelerando, sua respiração aguda e profunda. Quando chegamos ao heliporto, Taylor estaciona o carro, e eu saio para abrir sua porta. Ela segura a minha mão estendida.

"Pronta?" Eu pergunto, e ela balança a cabeça confirmando, incapaz de articular qualquer palavra, enquanto parece tanto excitada quanto nervosa. Taylor se afasta com o carro, enquanto eu pego sua mão e me encaminho para o elevador para chegar até o heliporto. Enquanto esperamos o elevador, as lembranças desta manhã vêm à tona, o ar se carrega entre nós, enquanto o choque de eletricidade mantem uma corrente constante através de nossas mãos unidas. A porta do elevador “ding”, e nós entramos. Minha respiração acelera recordando esta manhã e sabendo muito bem o quanto ela gostou. Acho um pequeno sorriso rastejando em meus lábios, enquanto nosso olhar bloqueia. Gostaria de fodê-la aqui, mas eu consigo me conter.

"São apenas três andares," Eu respiro com a voz rouca, vendo o desejo nos olhos dela. Muito em breve o elevador “ding” novamente e estamos na cobertura no teto do terceiro andar. Eu vou até o escritório no local para garantir que todas as verificações pré-voo estão concluídas. O velho Joe está sentado à mesa, e me informa que todas elas foram concluídas. Agradeço a ele, e dou-lhe um sorriso caloroso. Anastasia parece surpresa com esta pequena troca, olhando curiosa.

"Vamos", eu digo nos encaminhando para Charlie Tango, com o nome da empresa impresso em azul na lateral: Grey Enterprises Holdings Inc. Eu abro a porta, e indico o assento a Anastasia e ordeno a ela "Sente-se, e não toque em nada ." Eu volto para o meu lugar de piloto. Eu me viro em direção a Anastasia e a prendo no cinto de quatro pontos. Eu aperto ambas as tiras e sinto uma enorme satisfação, e fico incrivelmente excitado vendo ela toda amarrada. Eu estou muito perto dela quando eu inalo e bebo seu perfume.  Ele é tudo, baunilha, ar livre, e mulher. Ela me olha curiosa. Eu ergo os olhos e sorrio para ela com a paixão aquecendo meu olhar. Ela fecha os olhos deixando escapar debilmente seu desejo ,  esquecendo  de respirar.

"Agora você está segura, não pode fugir", eu sussurro no seu ouvido. Ela para de respirar, mais uma vez, depois de obter um vislumbre de meu olhar apaixonado.

"Respire, Anastasia", eu digo baixinho, tocando e acariciando seu rosto. Eu quero continuar, mas eu só pressiono um beijo suave em seus lábios deliciosos.

"Eu gosto deste cinto", eu sussurro, e ela me olha confusa. Espero que ela vá gostar também. Vou descobrir hoje à noite.

Aponto para os fones e lhe digo para colocá-los durante o vôo. Eu refaço todas as verificações pré-vôo, acerto a decolagem com a torre de controle aéreo, e decolo em direção a Seattle. Eu percebo Anastasia um pouco nervosa, e ela me olha com seus grandes olhos azuis questionando:

"Você sabe o que está fazendo, Christian?", Ela pergunta.

Eu sorrio. "Eu sou piloto totalmente qualificado há quatro anos. Você está segura comigo, Anastasia", digo acrescentando, "pelo menos enquanto nós estamos voando", e eu pisco para ela, brincando. O sorriso que ela me dá é deslumbrante, de tirar o fôlego.

Ela pergunta-me quanto tempo levaremos para chegar a Seattle. Eu digo a ela que cerca de uma hora. Ela parece aliviada. Ela está preocupada com a segurança do vôo à noite. Eu digo a ela que estamos voando em um Eurocopter EC135, um dos mais seguros da sua classe, que está equipado para vôo noturno.

"Há um heliporto no prédio onde eu moro, que é para onde estamos indo", eu digo.

"É claro, que há", murmura, em voz baixa, quase decepcionada, triste, sua reação me surpreendendo. Por que ela achou isso aborrecido? Ela olha para mim de lado, tentando memorizar meu rosto como se ela não fosse olhar para ele por muito tempo e ela quisesse recordá-lo. Há nostalgia em seus olhos, desejo também. O pensamento disto e as possibilidades me deixam satisfeito, feliz.

Dirijo-me a ela e pergunto: "Você está bem, Anastasia?"

Sua resposta é curta e cortada, "sim". Eu aponto para ela a silhueta de Seattle, emergindo, na noite.

"Você sempre impressiona as mulheres dessa maneira, com seu helicóptero?", Ela pergunta. Ah, isso é o que a está incomodando. Embora sua pergunta me faça parar. Eu nunca realmente trouxe qualquer mulher no meu helicóptero, ela é a primeira, como ela foi a primeira mulher com quem eu já dormi ou tive na minha própria cama.

"Não. Eu nunca tinha trazido uma garota ao Charlie Tango antes. Meu helicóptero, eu quero dizer. Você está experimentando outro primeiro comigo Anastasia ", respondo, olhando para ela com um renovado sentido de admiração.

"Você está impressionada?" Eu me vejo perguntando.

"Christian, eu estou surpreendida. Na verdade, espantada! " Ela responde.

"Espantada!" Eu quero saber mais. Ela tem a minha atenção, e suas palavras são como ladainha.

"Sim", ela suspira: "Você é incrivelmente capaz... assim... muito competente, " ela respira.

Eu estou muito encantado por sua resposta, e encontro-me dizendo: "Bem, obrigado Srta Steele. Nosso objetivo é agradar, " e não posso deixar de dar-lhe o meu estúpido sorriso adolescente. Ela parece feliz. Ela observa que eu gosto de voar.

"Sim", eu digo a ela, “imensamente. Porque é preciso muita concentração e controle para voar... Como eu poderia não amar isto? " Mas então eu digo a ela que eu acho planar ainda melhor.

Seattle parece absolutamente deslumbrante na luz da noite, e eu vejo em seu olhar, que ela acha romântico, apesar de eu ter uma agulhada dentro de mim me lembrando que eu não faço romance.

Eu voo através de edifícios altos me encaminhando para o Escala. Poucos minutos depois, pairo e aterrisso no telhado do Escala, meu prédio.

"Chegamos", eu digo baixinho. Neste pequeno espaço fechado, o ar está intenso entre nós. Ela parece excitada, nervosa, tímida e com a respiração irregular me fazendo mais desejoso por ela. Eu me aproximo e retiro seus fones. Eu desato meu cinto de segurança, e solto o dela. Minha excitação e desejo por ela são difíceis de conter. Eu aperto minha mandíbula e meus olhos se estreitam em um esforço para conter minhas emoções em relação a ela. Eu a quero, mas eu quero protegê-la também.

"Você não tem que fazer nada que não queira fazer. Você sabe disso, certo, Anastasia? " Eu digo com fervor. Por um lado eu estou desesperado para ela dizer não e sair, porque Deus sabe que eu não vou conseguir. Eu estou viciado nela, ela me enfeitiçou com todo o seu ser. Se apenas ela soubesse o quanto eu a desejo... Eu não posso manter o querer e o desejo que eu tenho por ela fora da minha voz ou de meus olhos. Ela fala calmamente e com convicção:

"Eu nunca faria nada que eu não quisesse fazer, Christian."

Concordo com a cabeça, e respiro um suspiro interior de alívio e digo: "tudo bem", suavemente e quase inaudível. Eu ainda olho para ela cautelosamente, dividido entre mantê-la aqui, e não deixá-la ir embora, e levá-la de volta para Portland, e deixá-la com a sua inocência intacta e ignorante do meu mundo escuro. Mas, até então, eu nunca tinha desejado alguém tanto quanto eu a desejo neste momento! Ela tira o meu fôlego. Ela olha para mim com determinação, e esperançosos olhos azuis,  que rompem com o último pedaço de toda minha resistência e eu derreto.

Abro a porta e saio. Eu ando rapidamente para o lado dela, e abro sua porta envolvendo meus braços firmemente ao redor dela puxando-a para baixo do helicóptero e apertada contra mim. Há muito vento no telhado, e eu tenho que gritar para ser ouvido: "Venha!", digo. O vento é forte, e eu a arrasto para o elevador, e marco meu andar no teclado. A porta se abre e eu a puxo para dentro. Uma vez no elevador, eu coloco o código para o meu apartamento. Ela olha para as paredes espelhadas do elevador olhando para o nosso reflexo infinito com admiração e reverência.

O elevador leva um curto período de tempo para alcançar a minha cobertura e a porta se abre. Entramos no meu hall de entrada todo branco, adornado com uma mesa de madeira escura, com flores frescas, fazendo um grande contraste. Minha seleção de pinturas requintadas da Madonna com a  criança decora as paredes. Ela olha para elas como fez com a pintura na parede do meu escritório em sua primeira visita para me entrevistar. Eu abro as portas duplas e entro na sala principal que é mais uma exposição do que uma sala de estar comum. As paredes são de altura dupla e todas brancas, com as paredes de vidro exteriores permitindo a entrada para uma ampla varanda, com vista para o espetacular horizonte da cidade de Seattle.

Eu tenho um sofá em forma de U, de grandes dimensões, na sala principal aberta de frente para a cozinha. A lareira também está iluminada dando uma sensação de ambiente sensual e quente.

"Posso pegar seu casaco, Anastasia?" Eu peço baixinho. Ela nega com a cabeça, ela ainda parece com frio. Eu quero aquecê-la, mas eu me desvio do tema perguntando se ela gostaria de um drinque. Ela parece tanto confusa como divertida. Eu levanto as sobrancelhas ligeiramente e digo a ela que eu vou tomar um vinho branco, e pergunto se ela gostaria de se juntar a mim.

"Sim, por favor ," ela responde, timidamente. Eu digo a ela a minha escolha de vinho branco, e pergunto se ela ficaria bem com essa escolha.

"Christian, eu não sei nada sobre vinhos. O que quer que você esteja bebendo seria ótimo, " diz ela, hesitante. Ela é inocente e inexperiente em todos os sentidos, a minha consciência me diz. Concordo com a cabeça, e lhe sirvo uma taça. Ela está muito quieta. Ela está tendo outros pensamentos? Uma parte de mim gostaria que ela estivesse, e a outra parte a deseja mais do que tudo. Mas eu tenho que perguntar-lhe,  pois isso tem que ser a sua escolha.

"Você está muito quieta, Anastasia, pálida de fato. Você está bem? Com fome? " Pergunto sondando.

Ela balança a cabeça negativamente.

"Este lugar é muito grande, Christian. Muito grande", ela observa distraidamente.

"Grande?" Eu me divirto.

"Sim, muito", ela responde. Quando ela percebe o piano ela me pergunta se eu toco.

"Sim, eu toco", eu respondo meu olhar fixo sobre ela como um falcão. Eu estou com intenção e desejo, e enamorado dela. Desta inocente garota bonita, que é pouco consciente de sua própria sedução.

"Existe alguma coisa que você não pode fazer?", Comenta quase triste, como se eu fosse inacessível.

"Poucas coisas...", digo. "Você gostaria de se sentar Anastasia?" Eu pergunto-lhe convidando-a para o sofá. Ela senta-se e com diversão, ela sorri. Estou curioso para saber o que está acontecendo em sua mente neste minuto. Ela está tão fechada para mim. Eu trabalho duro para ler sua linguagem corporal. Ela é diferente de qualquer pessoa que eu conheci.

"O que divertiu você, Ana?" Eu observo calmamente sentado perto dela, perto o suficiente para tocar. Eu sento apoiando-me em meus cotovelos atrás de mim.

"Por que você me deu o livro de Tess of the D'Urbervilles, Christian?", Ela pergunta intensamente. Ela é difícil de analisar e sua pergunta me pega de surpresa.

"Aproveitei que você gostava de Hardy e que eu lhe devia um aviso sobre mim mesmo. Essa foi a única maneira que eu pude pensar. Tanto para prendê-la a um ideal impossível como Angel Clare, ou a uma degradação completa como Alec D'Urberville, " murmuro lentamente, meu olhar cintilando com o meu desejo interior carregado de sensualidade sombria.

Darcy e Elizabeth, cena de dança e música

"Se você está me oferecendo apenas duas opções , Christian, eu tomarei a degradação", ela sussurra para mim, mordendo o lábio e me chocando completamente. Suas palavras e a visão dela com o lábio preso nos dentes corta  minha respiração e eu tenho que tomar uma inspiração audível para recuperar meus sentidos. Ela me deixa em admiração completa diante dela. Eu balanço minha cabeça e falo intensamente, "Por favor, pare de morder seu lábio, Anastasia! Isto me distrai completamente. Você não tem idéia do que você está realmente pedindo aqui, " eu digo ainda esperando que ela diga que não.

"Eu estou aqui, não estou?", Diz ela determinada.

"Sim, você está", eu digo incapaz de resistir mais a ela e aponto-lhe meu dedo, " você poderia esperar um minuto, por favor?"  Eu digo desculpando-me.  Ela fez sua escolha, e eu já estou em suas mãos. Eu vou para o meu escritório e imprimo o Acordo de Não Divulgação (NDA) que minha assistente Andrea me enviou por email anteriormente. Eu volto para a sala de estar com o documento, e o entrego a ela, dizendo: "Ana, este é um NDA, um acordo de não divulgação. Tendo em vista quem eu sou, o meu advogado insiste em tê-lo assinado.”  Eu olho para ela determinado, e digo-lhe:  " se você estiver indo para a degradação, você precisa assinar isso. "

"E se eu não quiser assinar?" Ela me enfrenta.

"Isso seria ótimo", eu digo percebendo uma pontinha de decepção em minha voz, mas eu me seguro e acrescento, "nesse caso, vão ser os altos ideais de Angel Clare , e a maior parte do livro para você."

"Para que é esse NDA? Eu acho que eu não sei o que significa. "

"Simplesmente significa que você não pode falar sobre mim e você e o que acontecer entre nós, para ninguém, sobre nada. Nunca. De modo algum... " Eu digo com clareza. Uma gama de emoções cruza seu rosto: um olhar de incredulidade, surpresa, medo, e, finalmente, a curiosidade.

"Tudo bem, eu vou assinar", diz ela e estende a mão para receber a caneta de mim. Eu estendo a caneta para ela sem conseguir esconder dela o meu rosto surpreso.

"Você não vai ler primeiro?" Pergunto chocado.

"Não", ela diz determinada.

"Por que não?" Eu pergunto. Eu sinto desejo de repreendê-la, esta não é uma boa prática, se ela fica assinando papéis sem ler ,  "Anastasia, você deve sempre ler o que você assina!"

"Bem,” diz ela exasperada, "claramente Christian, este pedaço de papel", segurando o NDA em sua mão como um pedaço indesejado de acessório do qual se quer ficar livre ", significa mais para você e seu advogado – com quem, aparentemente, você falou acerca de mim – do que para mim. Eu não tinha a intenção de divulgar "nós" a ninguém, de qualquer maneira. Então, assinar este pedaço de papel dizendo que eu não vou falar sobre nós dois é um ponto discutível. Eu não vou falar! Nem mesmo a minha melhor amiga, Kate ", afirma, desarmando-me completamente.

"Ponto bem defendido, Anastasia", eu digo completamente fascinado.

Ela assina o seu nome nas linhas pontilhadas de uma forma exagerada, me devolve o NDA, e toma um gole grande da taça de vinho quase a esvaziando toda. Vejo que ela está tentando reunir coragem e finalmente fala o que está pensando:

"Uma vez que eu assinei o NDA, isto significa que você vai fazer amor comigo esta noite, Christian?", Ela pergunta e imediatamente parece arrependida e ruborizada. Meu queixo cai, aberto, completamente chocado com suas palavras. Ela consegue me chocar! Eu, Christian Grey, que não sou surpreendido facilmente, fico chocado com as palavras desta garota inocente! Mas eu retomo meus sentidos e respondo.

"Não, Anastasia, não. Deixe-me esclarecer uma coisa. Eu não faço amor. Nunca. Nunca fiz. Eu fodo... duro. Além disso, você terá que assinar mais papelada, e além do mais, você ainda não sabe em que está se metendo. "  Eu olho para ela. "  Quando você souber, eu tenho medo que você vai correr para o mais longe possível de mim. Então, eu tenho que chegar ao ponto e mostrar o que eu quero dizer. Venha. Veja a minha Sala de Jogos." Eu digo, finalmente determinado a deixar as fichas caírem onde elas puderem.

"Sala de Jogos? Vamos jogar Wii, ou Xbox? "  Ela me pergunta surpresa, e eu não posso me impedir de  deixar escapar uma risada. Isso é a coisa mais distante da minha mente.

"Não, Ana. Nenhuma dessas coisas. Venha e veja, " eu digo e gentilmente agarro a mão dela e a levo pelo corredor para o andar de cima, onde está localizada minha Sala de jogos. Eu levo minha chave da Sala de Jogos, que sempre permanece trancada. Eu tomo uma respiração profunda, e lhe dou um último aviso,  “Você ainda pode ir embora, Anastasia. Se assim desejar, posso enviar-lhe onde quer que você queira ir, o meu helicóptero está em standby;  ou passar a noite e ir para casa de manhã. O que quer que você decida está bem. "

Ela me dá um olhar exasperado, e me repreende: "Ah, apenas cale a boca e abra a maldita porta, Christian!" Desarmando-me completamente e me deixando sem fôlego. Eu abro a porta e a deixo entrar.


11 comments:

anne caroline godoi said...

As outras que me perdoem,mas o Christian é meu...

Juliana Silva said...

kkkkk é seu porque ele não existe porque se existisse seria my rsrsrsr

Juliana Silva said...

rs ele é seu porque não existe pois se existisse seria my rs .

Neusa Reis said...

Lamento, mas eu játinha tomado posse dele há muito tempo. E como eu não compartilho...Vou acelerar a tradução prá vocês não esperarem muito.
Um abraço para vocês
Neusa

Anonymous said...

Agradeço bastante....por tentar postar os capitulos o mais rapido possivel,porque sou viciada nesses livros....

Neusa Reis said...

Eu também sou. Um abraço.

christine said...

Estou acompanhando enfeitiçada! !
Descobri esses capítulos da versão Grey hj e viciei do mesmo jeito em relacao a trilogia! !!

Lira Oliveira Cabral said...

quando será postado os demais capítulos do livro 4 traduzidos em português?

Lira Oliveira Cabral said...

GOSTARIA DE SABER QUANDO SERÁ POSTADO OS DEMAIS CAPÍTULOS DO LIVRO 4 TRADUZIDOS EM PORTUGUÊS?

Eminé Fougner @ Cowboyland said...

Hi Lira,

I posted Book 4- Chapter 8 last night. Yes, each chapter of Book 4 is being translated. :)

Kaila Alekena said...

Ansiosa pelo quarto da dor.. sinto que Eminé ainda está presa ao conteúdo do livro tentando encaixar os sentimentos de Cristian ao contexto da fala... porém estamos falando aqui d alguém que até então tem sua alma conturbada e por isso os seus 50 tons, ainda não consegui senti a sua obscuridade e intensidade que é o que o caracteriza, creio que mais pra frente ela o sintonizará melhor.