StatCtr

Monday, February 11, 2013

Livro I - Capítulo II - Christian e Anastasia


Livro 1 em português -  Christian Grey e Anastasia Steele
CAPÍTULO DOIS
O SEGUNDO ENCONTRO


Estou como um adolescente idiota na frente da Clayton’s Hardware Store. Ela está trabalhando hoje. Eu respiro fundo e a localizo em trinta segundos. Ela está em um balcão olhando para uma tela de computador, absorta em sua tarefa, enquanto come um bagel (sandwich). Algumas vezes ela remove as migalhas do canto da boca com a língua, outras vezes, com o dedo indicador. De repente eu sinto uma urgência de ir e chupar aquele pedaço de bagel de seu lábio. Ela parece tão adorável quanto eu me lembro, na verdade, muito melhor, em seu jeans e t-shirt.  Muito, muito melhor...

Ela levanta os olhos de sua tarefa e seu olhar bloqueia com o meu e sua respiração acelera. Eu sorrio. Estou feliz de ver que eu posso afetá-la da mesma forma. Isso significa que ela não é gay. Ela está surpresa e seus olhos azuis se arregalam.

"Srta. Steele. É uma surpresa agradável ver você aqui."

Ela olha para a minha roupa, meu suéter, botas de caminhar, e seus olhos se demoram um pouco mais no meu jeans. Estou satisfeito.

"Sr. Grey," ela consegue voltar a respirar. Interrogativa.

"Eu estava na área. Eu preciso comprar alguns itens," eu digo como forma de explicação. Ela está mordendo o lábio de novo, corando.

"É claro, Sr. Grey," Ela gagueja primeiro, em seguida, colocando seu sorriso de funcionária, ela pergunta, "Em que posso ajudá-lo?"

"Eu preciso de alguns lacres de plástico", eu digo sorrindo. O que eu posso fazer com você com eles, eu penso, enquanto meu olhar sombreia. Ela fica vermelha de novo. Ela indica o caminho. Ela, então, ajuda-me também a encontrar fita adesiva e corda. Ela me pergunta se eu estou redecorando. Eu sorrio meu sorriso secreto. Não baby, eu não redecoro. Tenho pessoas para fazer isso. Estes são para outros projetos DIY  (N.T. Do It Yourself – Faça você mesmo) que você provavelmente nunca tentou. Mas como seria divertido ensinar a você!

Ela cora sob o meu olhar novamente. Ela está tão afetada por mim como eu estou por ela. Eu tenho que perguntar-lhe alguma coisa para mantê-la interessada.

"Você já trabalha aqui há muito tempo?" Embora eu já saiba a resposta à minha pergunta. Quatro anos, a tempo parcial. Ela responde afirmativamente, seus olhos ainda estão abaixados e tímidos. Ela me mostra dois tipos diferentes de fita adesiva. Eu escolho o mais largo.

"Algo mais, Sr. Grey?" Ela me pergunta em uma sussurrada voz rouca. Sim, ela está definitivamente afetada pela minha presença. Eu me descubro respondendo no mesmo tom. Quando mais tarde ela corta a corda de filamento, com a eficiência de um escoteiro, eu pergunto-lhe se ela já foi uma escoteira, olhando-a fixamente. Ela cora novamente, e em um gesto nervoso, ela olha para as mãos e retorce os dedos como se estivessem molhados. "Não, Sr. Grey", diz ela, "as atividades organizadas, de grupo, não são a minha praia. Eu não estou nessa," ela ousa olhar sob seus longos cílios. É frustrante tentar decifrá-la. Eu pergunto: "Qual exatamente é a sua, Anastasia?" Eu pergunto, em voz baixa. Ela engasga um pouco com a minha pergunta. Eu acho que já sei a resposta. Eu aposto em seus livros.

"Livros", ela sussurra, mas seu olhar sonhador diz algo mais, corando. Aposto em Brönte e Jane Austen?
"Que tipo de livros?" Pergunto, interessado, mas sabendo a resposta.

"Os clássicos britânicos, os habituais", sussurra. Eu acho que ela é toda corações e flores. Ela é para mim? Eu não sou corações e flores! Eu esfrego meu queixo analisando sua resposta. Mas se funcionar, poderemos ter um monte de diversão. Eu gostaria de tentar. Ela muda de assunto,  voltando para o “modo” funcionária.
"Você quer mais alguma coisa, Sr. Grey?"

Eu preciso mantê-la envolvida em falar comigo. Ela está me seduzindo. Eu não consigo tirar meus olhos dela; de tudo o que ela faz, mordendo o lábio, se contorcendo e retorcendo os dedos, apenas com isso me fazendo querer alcançá-la, amarrar estas  mãos para cima, capturar este lábio no meu, e ensinar a esta boca algumas lições.

Então, nós ouvimos seu nome ser chamado por um cara, "ANA!" Um almofadinha se aproxima com intimidade. Ele é o namorado dela? Eu me arrepio de repente, e logo  tenho desejo de espancá-lo. Quem diabos é ele? Ela se desculpa, e vai para ele. Eu estreito meus olhos. Talvez eu tivesse cometido um erro ao vir. Ele a abraça, e envolve seu braço possessivamente sobre ela, mas ela não retribui. Eu olho para ele glacialmente. Talvez eles não estejam envolvidos. Ela arrasta o filho da puta para onde eu estou.

"Sr. Grey, este é Paul. Seu irmão é dono desse lugar. Eu o conheço há muito tempo, mas eu raramente o vejo porque ele estuda Administração de Empresas em Princeton, " olhando para mim com expectativa. Eu lentamente solto um suspiro de alívio. O filho da puta não é o namorado, mas o irmão do proprietário. Enquanto olha de um para o outro, Anastasia acrescenta: "Paul, este é Christian Grey." Ele leva um segundo para perceber quem eu sou, e eu posso ver a mudança para admiração e reverência. Sim, filho da puta, vamos deixá-la agora, e voltar para o buraco de onde você saiu! Ele me pergunta se eu preciso de alguma coisa.

“Anastasia foi muito eficiente," eu digo, com meus olhos se estreitando friamente, despachando-o. Ele finalmente se manca e vai embora. Eu não sei por que eu sinto esta pontada de ciúme. Eu não estou familiarizado com esta emoção, e é muito desconfortável. Por que eu sinto ciúmes, e tenho este sentido de propriedade com relação a ela? Ela não é nada para mim. No entanto... eu gostaria que ela fosse algo para mim.

"Há algo mais que eu possa ajudá-lo a encontrar, Sr. Grey?", Diz ela agitada. Eu ignoro sua pergunta.

"Como está indo o artigo,  Anastasia?" Eu pergunto. Ela parece surpresa e levanta os olhos para mim. Eu não quero ser dispensado, quero que ela se envolva.

"Oh, Kate... quero dizer, Srta. Kavanagh, minha companheira de quarto está escrevendo. Ela está devastada porque ela não conseguiu ir entrevistá-lo. Entretanto ela gostaria de ter algumas fotos suas."

Isto me surpreende e me dá esperança de que talvez eu possa encontrar uma maneira de ver Anastasia novamente. Ela pode ver o brilho nos meus olhos.

"Sério?" Eu digo: "Talvez amanhã eu possa estar disponível. Eu vou ficar aqui na cidade." Eu pesco o meu cartão de visitas da minha carteira, e o entrego a ela, nossas mãos brevemente se tocando, com a mesma carga de eletricidade, me fazendo suspirar levemente, escurecendo meus olhos. Eu tenho o mesmo efeito sobre ela. "Você precisa me chamar antes de 10:00 h."

Ela está agradavelmente surpreendida e me dá o maior sorriso, iluminando seus brilhantes olhos azuis com um novo brilho, me tirando o fôlego. Ela realmente tem um sorriso lindo.

"Sim, nós chamaremos. Kate ficaria muito feliz!" diz ela animadamente.

Eu pago minhas compras enquanto ela mantém seu olhar para baixo, e eu estou morrendo para que ela olhe para mim de novo. Por que eu estou como um adolescente, seu toque movendo minhas entranhas? Ela olha para mim de novo quando eu entrego meu cartão Amex para ela. Nossos olhares bloqueiam. Quando termino, pegando as minhas compras, eu me volto para ela e digo: "Oh, Anastasia, estou feliz que foi você quem me entrevistou, e não a sua companheira de quarto." Eu quero que ela saiba que eu estou interessado, e eu posso sentir seu suspiro e ela retribuir os meus sentimentos. Ela gosta de mim. Eu saio da loja com meu propósito renovado. Isso vai funcionar.

Taylor está me esperando no estacionamento.

"Vamos", eu digo. Ele me leva ao Heathman Hotel. Eu vou para a minha suíte, coloco minhas compras em uma cadeira. Me ocupo com o trabalho, esperando que ela chame. Se não, eu vou embora amanhã abandonando esta perseguição. Desejo que ela chame. Eu vou malhar para gastar meu excesso de  energia. Seu sorriso tímido está diante dos meus olhos. Eu malho por horas. Volto ao meu quarto, e tomo um banho. Anastasia, e seus lábios ainda estão em minha mente. Se ela não me chamar, que outra oportunidade de encontro eu posso encontrar? Minha mente está funcionando em plano de backup. Eu não perco quando estou em uma missão. Mas somente se ela quiser isto. Ela é jovem demais para o que eu tenho em mente para ela. Ela parece muito inexperiente. Porque ela não liga? Inferno!

Eu decido responder alguns e-mails quando meu telefone toca. Eu não reconheço o número. Quem diabos será? Eu estou de mau humor. Eu atendo secamente:

"Grey".

Um tímido, nervoso e rouco som responde.

"Uhmm ... Sr. Grey? É Anastasia Steele. " Meu coração salta por um segundo, e depois recomeça a bater e eu me encontro respondendo com um tom rouco, mas suave.

"Srta. Steele. Como é bom ouvir você." Eu quase pensei que ela não fosse ligar. Estou aliviado. Eu escuto sua respiração ofegante. Sinto-me exultante por ter esse efeito sobre ela. Eu estou sorrindo como um idiota. Eu digo a ela que eu vou ficar no Heathman em Portland e decidimos fazer as fotos às nove e meia da manhã seguinte. Quando ela diz "Ok, vemos você lá," toda ofegante e animada, eu sinto meus olhos se estreitarem e estou incapaz de esperar até amanhã, "Estou impaciente por isto, Srta. Steele," Eu digo jogando o laço da sedução. Meu subconsciente diz "você é minha!"

A espera pela manhã seguinte é repleta de sonhos eróticos com Anastasia com meias de seda e algemada, seus olhos azuis ansiosos. "Anastasia", eu sussurro, seu nome uma prece em meus lábios. "Christian", ela responde, a voz dela é o suficiente para me fazer perder a cabeça. Eu acordo suado com o seu nome em meus lábios. Eu coloco meu braço sobre meus olhos, depois os retiro, inquieto,  olhando para o teto. Poderia qualquer outro nome ter o mesmo efeito em mim como Janet, ou Mary, ou Angie? Acho que não. Anastasia. O nome é uma carícia em meus lábios, é mágico, vivo. Eu estou atraído, encantado, em seu poder.

Levanto-me e vou para a academia novamente para exercitar-me para passar o tempo. Depois do meu treino, eu tomo um longo banho e coloco minha camisa branca com o colarinho aberto, e minha calça de flanela cinza, minha marca registrada, pendurada baixa em meus quadris. Eu tomo meu café da manhã rapidamente, e deixo o meu cabelo à sua própria vontade, deixando-o molhado. Ela me chama para me avisar que eles estão ocupando outra suíte no hotel para as fotos. Taylor espera na porta.

O meu olhar procura-a assim que eu entro na suíte. Lá, ela está de jeans de cintura baixa envolvendo suavemente suas curvas bem com uma blusa branca mostrando lindamente suas formas. Sinto sua respiração se alterar quando seu olhar capta o meu, e ela me dá uma discreta olhada.

"Srta. Steele, nos encontramos de novo", eu digo estendendo minha mão para receber sua pequena mão pálida. Com o seu toque eu sinto o mesmo choque palpável de eletricidade entre nós, e eu sei que ela sente isso também, porque seu piscar aumenta rapidamente. Ela está corando e sua respiração fica irregular. Ela recolhe a mão muito rapidamente e apresenta sua colega de quarto que é, como eu esperava, sem nenhuma dúvida, segura de si, dominadora. Como eu.

"A insistente senhorita Kavanagh. Como vai você? " Eu digo, e em pensamento agradeço minhas estrelas da sorte de que foi Anastasia que veio, e não ela. Ela é bonita o suficiente, mas eu não gostaria dela nem um pouco.

Anastasia então apresenta o fotógrafo dizendo: "Este é José Rodriguez, nosso fotógrafo." Ela sorri para ele amorosamente e ele se vira para ela, possessivo. Eu sinto a raiva crescendo dentro de mim. Este filho da puta é o namorado dela?

"Sr. Grey, " o filho da puta cumprimenta.

"Sr. Rodriguez, "eu digo glacialmente. Eu sento e poso para a sessão de fotos o tempo todo olhando e me fixando em Anastasia. Eu tenho que descobrir se algum desses dois filhos da puta que eu conheci nos últimos dois dias é seu namorado. Ambos estavam possessivos em relação a ela...

Cerca de trinta minutos depois, está feito, e dizemos nossas gentilezas um ao outro, eu e Kavanagh, e eu viro para Anastasia perguntando: "Você me acompanharia, Srta. Steele?"

"Claro", ela diz ansiosamente, enquanto sua amiga olha com suspeita e o porra do fotógrafo, carrancudo. Um alarma para namorado toca na minha cabeça. Eu tenho que descobrir. Eu não “compartilho". Ela tem que ser minha.

Eu abro a porta e deixo-a sair. "Você se juntaria a mim para o café esta manhã?" Eu mantenho a esperança fora do meu olhar, mas, eu posso sentir o seu batimento cardíaco aumentando e seu rosto ficando rosa. Sim, baby, isto é um encontro.

Glad You Came - Wanted 

Ela me diz desapontada que ela tem que levar todos para casa. Oh, eu tenho como resolver, baby!

"TAYLOR!"

"Por favor, leve a senhorita Kavanagh, o fotógrafo, seu assistente e seu equipamento para onde precisem ir." Então eu viro para ela e digo: "viu, resolvido!"

"Oh, Taylor não precisa fazer isto, Sr. Grey. Eu posso trocar de carro com Kate. " Ela volta para a suíte; após uma pequena discussão com sua  amiga, ela retorna.

"Ok, vamos tomar café", diz ela ficando vermelho escarlate. Sua cor me faz sorrir como o gato Cheshire. (N.T. O gato da Alice no País das Maravilhas) Conversamos banalidades no caminho para os elevadores. Eu aperto o botão para chamar o elevador. Quando a porta se abre, dentro tem um casal que se devora um ao outro com os olhos, e só tem olhos um para o outro. O que há com os elevadores? Anastasia está corada e envergonhada. Eu mantenho o meu olhar sobre ela, observando a bela cor vermelha se espalhar pelo seu rosto tímido de novo, enquanto eu mal consigo segurar meu sorriso. Com um ‘ding’ o elevador chega ao primeiro andar, eu agarro a mão de Anastasia, e saímos do elevador. Nós ouvimos a risada do casal atrás de nós, enquanto eu murmuro "o que há com os elevadores?"

Atravessamos a rua para uma cafeteria, sua mão na minha, com o choque de eletricidade constante entre nós. Eu a deixo escolher uma mesa e pergunto o que ela gostaria.

"Chá, English Breakfast, com o envelope fora." ela diz, surpreendendo-me. Então, sem café. Desculpando-se ela indica que não é fã de café. Quando eu vou para pegar as bebidas e algo para comer, eu a vejo olhando para mim sub-repticiamente, e, ocasionalmente, mordendo os lábios. Quando eu volto para a mesa, ela baixa o seu olhar para seus dedos entrelaçados, corando. Eu gostaria de saber por que ela está corando. Por mim, eu espero.

"Um centavo por seus pensamentos?", digo.

Ela fica totalmente vermelha, como a bandeira chinesa. Deus! O que eu gostaria de fazer com você para saber o que você está pensando! Coloco a bandeja na mesa que ela escolheu e estico as pernas sob a mesa, sentado em frente a ela para ver seu lindo rosto tímido melhor. Eu tento persuadi-la:

"O que você está pensando?"

Ela não está soltando nada. "Este é o meu tipo favorito de chá, eu gosto de preto e fraco", diz ela. Eu tenho que ir direto ao ponto e tirar-me da miséria, porque eu não posso suportar mais.

"Entendo." Eu digo: "Ele é seu namorado, o fotógrafo José Rodriguez?"

"Não", ela solta, "ele é apenas um bom amigo. Na verdade mais como família."

"Entendo," eu a interrompo, " e o garoto da loja?" Eu cheguei ao ponto.

"Não, ele não é. Eu lhe disse ontem ", diz ela. Eu dou um suspiro interior de alívio.

"Por que você pergunta?", Ela me questiona.

"Você fica nervosa perto de homens", observo. Ela olha para seus dedos entrelaçados novamente, ruborizada mais uma vez.

"Eu só acho você intimidante", ela confessa, apesar de eu perceber que ela disse sem pensar, porque ela cora por toda parte até a linha dos cabelos, mas não antes de eu tomar uma ingestão aguda de ar. Eu devo afetá-la, o pensamento me agrada, e eu não posso deixar de sorrir.

"Eu sou intimidante, mas, por favor, não olhe para baixo. Eu gosto de ver o seu rosto, " eu digo, e beijar essa sua boca que você esteve mordendo. Ela levanta os olhos.

"Eu quero saber o que você está pensando. Você é misteriosa, Anastasia."

Ela parece perplexa.

Eu digo a ela que quando ela cora, eu sei que ela está pensando em algo, mas eu não sei o que exatamente. Ela me pergunta se eu sempre faço observações pessoais. Eu não sabia que eu fazia. Ela não esteve fazendo observações pessoais sobre mim na última semana? Ela me choca dizendo que  eu sou autoritário. Como você está certa, baby!

"Eu sempre consigo o que eu quero, Anastasia", eu digo a ela, "em tudo."

Eu quero saber mais sobre ela, e pergunto-lhe sobre sua família. Ela me pergunta sobre a minha, mas eu estou mais disposto a conhecê-la. Mas ela não está informando muito. Quando eu digo a ela que minha irmã Mia está em Paris, ela diz com nostalgia, "Eu ouvi dizer que Paris é adorável," e eu digo a ela que é linda, e pergunto se ela já foi. Ela nunca deixou o país.

Pergunto-lhe se ela gostaria de ir visitar. Ela se ilumina, e diz: "Paris? Claro. Mas, é a Inglaterra que eu realmente gostaria de visitar." Eu aposto que posso adivinhar o por quê. Meu dedo indicador roça meu lábio inferior, enquanto ela parece que está mal conseguindo impedir-se de ofegar. "Por quê?" Eu a instigo.

"Austen, Brönte, Shakespeare, Hardy. Eu gostaria de ver os lugares que inspiraram meus autores favoritos ", ela diz, sem pestanejar. Corações e flores como eu suspeitava. Ela olha para o relógio. Ela quer ir para estudar para seus exames finais. Eu ofereço-me para levá-la até o carro da Srta. Kavanagh. Ela me agradece pelo chá. Ah, o prazer é todo meu, eu sorrio. Eu estendo minha mão para ela, e ela automaticamente a segura, mais uma vez a corrente fluindo entre nós. Nós dois caminhamos de volta para o hotel, ambos perdidos em pensamentos. Eu amo o jeito que a bunda dela fica naquelas calças de brim, e sem pensar eu pergunto-lhe: "Você sempre usa jeans?"

"Na maior parte do tempo." Ela responde confusa. Combina com ela. Muito, muito bem. Enquanto vamos a pé até o estacionamento, ela deixa escapar: "Você tem namorada?" Toda ruborizada, porque eu acho que ela falou o que ela pensou,  em voz alta. Dou-lhe um meio sorriso.

"Não, Anastasia. Eu não sou do tipo que tem namorada," eu respondo suavemente.

Ela está confusa, é claro. Um pensamento lampeja por seu rosto sem palavras. Ela tem um olhar decepcionado no rosto e tenta deixar minha mão, caminhando na frente e tropeçando na rua. Encontro-me, gritando: "Merda, Ana!" Enquanto eu agarro sua mão para mantê-la na vertical, um ciclista quase bate nela, e eu a puxo para o meu corpo tão perto quanto possível. Eu a sinto inalando meu cheiro enquanto eu sinto uma brisa de seu cheiro suave, feminino, de seu cabelo e sua pele. Eu fecho meus olhos momentaneamente e sussurro em seu ouvido, "Você está bem?" segurando suas costas com uma mão, e tentando ter certeza que ela está bem e não tem arranhões, acaricio seu rosto com a outra. Eu aliso seu lábio inferior com o polegar enquanto um arrepio percorre meu corpo. Sua respiração está suspensa. Nós bloqueamos os olhares, e ela está olhando atentamente para mim, seu corpo e olhar estão dizendo "me beije."

Ela é adorável, e eu estou lutando contra mim mesmo para controlar o meu instinto de puxá-la os centímetros restantes e beijá-la. Eu brevemente fecho meus olhos, e quando eu os abro estou determinado. Ela é muito jovem, muito inocente, muito linda. Ela não é para o meu mundo.

"Você deveria ficar longe de mim, Anastasia. Eu não sou o homem certo para você," eu sussurro. O rosto dela desaba como se eu tivesse batido nela... forte. É melhor que ela pense que é rejeição do que vê-la machucada depois.

"Respire, Anastasia, ok? Vou colocá-la de pé, e deixá-la andar. " Ela tem decepção, e dor no rosto. Ela abre os olhos azuis tão grandes quanto possível, para não deixar as lágrimas que estão se juntando escapar.
"Eu estou bem", ela diz, "Obrigada, Sr. Grey."

"Por quê?"

"Por me salvar", diz ela, quase em lágrimas.

Estou furioso com o filho da puta que quase passou por cima dela. "Foi culpa daquele idiota, não sua! Você quer que eu te leve para o saguão do hotel e sente com você? "

"Eu estou bem", ela diz com a voz embargada. "Obrigado por fazer a sessão de fotos", diz ela, num último esforço, tentando não chorar. Eu estou lutando com algumas emoções estranhas. Eu quase desisti, e tentei me explicar para ela, dizendo que eu sou um cara fodido, e que o que ela iria ter de mim iria fazê-la infeliz. Ela é o tipo de garota corações e flores, e o ‘Cinquenta Tons Fodidos Christian Grey’ não faz isso.

"Anastasia... Eu..." Eu paro, com a batalha interna rugindo dentro de mim, querendo  ela, mas não querendo magoá-la. Estou dividido. Eu não posso suportar a dor em seu rosto.

"O que, Christian?", Ela se endireita, meu nome uma oração em sua língua. Não, eu não posso fazer isso com ela. Eu tomo uma pequena inspiração e digo: "Boa sorte com seus exames", confundindo-a.

"Obrigada!", Diz ela quase em lágrimas, e se afasta de mim. A última coisa que eu a vejo fazer é enxugar as lágrimas perdidas de seu rosto enquanto eu me chuto por dentro.

Porra! Porra! Porra!

Eu volto para o hotel. Eu tenho que socar algo, alguém, alguma coisa... Eu estou cheio de emoções com que eu não estou familiarizado. Eu não posso tirar seu rosto de minha mente. O olhar... A mágoa... Porra! É tudo culpa minha... Eu não sou o tipo que tem namorada e ela não é o tipo de garota que faria o que eu quero! Estou numa merda de dilema e eu tenho um desejo desconhecido, alguma atração por ela, e eu não quero magoá-la. Ela vai se machucar. Ela é muito inocente. Não vai funcionar com ela! A batalha em minha cabeça ruge. Como é que eu sei que não vai funcionar se eu não tentar?

Foda-se isto! Eu vou dar a mim mesmo mais um outro dia. Ver se consigo resolver isso na minha cabeça. Porra! Eu chamo Claude Bastille e peço-lhe para levar seu traseiro para Portland. Eu preciso de um treino sério.

Amanhã. Vou esperar até amanhã.


9 comments:

anne caroline godoi said...

Nossa... Estou adorando.

Anonymous said...

Christian é tão sexy eu gostava de ter um homem assim para mim....Adoro Cinquentas sombras sobretudo em português,muito obrigada por começarem a traduzir para português..

Neusa Reis said...

Por nada, é um prazer fazer isso. Um abraço

Neusa Reis said...

Por nada, é um prazer fazer isso. Um abraço

Anonymous said...

vc pode me enviar por e-mail estou adorando mas minha vista doi .... andres.arruda@hotmal.com

Anonymous said...

vc pode me mandar por e-mail andres.arruda@hotmail.com

neide said...

adorei!!!

Anonymous said...

Oi vcs podem me enviar por email.
mary_keu@hotmail.com
Muito obrigado sou totalmente apaixonada pela historia.

Anonymous said...

Vcs porem não me enviar por email
mary_keu@hotmail.com
Adoro a historia.
Um abraço