StatCtr

Friday, March 8, 2013

Livro 1 - Capítulo XX - Christian Grey e Anastasia Steele


CAPÍTULO VINTE
FIM DE UMA PUNIÇÃO

Tradução:   Neusa Reis                                                         
Edição/Revisão:  Beatriz Reis




Em um instante, eu retiro meus dedos, abro meu ziper, e a empurro para baixo sobre o sofá; eu em cima dela. 

I Set Fire to the Rain - Adele

"Mãos na cabeça," eu comando por entre os dentes cerrados, enquanto eu estou cheio de desejo. Eu forço suas pernas abertas, e de dentro do bolso de minha jaqueta eu tiro um pacote de preservativos, ainda olhando para ela com uma expressão sombria, devassa. Eu tiro fora minha jaqueta que cai no chão. Eu rolo a camisinha no meu comprimento.

Eu, então, coloco suas mãos na sua cabeça. Ela está muito cheia de desejo por mim, seus olhos não querem me deixar nem por um segundo, e uma vez que eu estou pronto para tomá-la, ela levanta os quadris para cima para encontrar meu comprimento em um gesto de boas-vindas, e o toma áspera e dura. Ela também está antecipando. Mas ela não está autorizada a gozar. Com um impulso rápido, estou completamente dentro dela fazendo-a gemer, e ela está satisfeita por me ter nela. Eu coloco minhas mãos nas suas em cima da cabeça dela, minhas pernas estão segurando-a em baixo. Eu a prendo debaixo de mim, eu estou em todos os lugares, tomando-a, consumindo-a, e isso não é o suficiente. Eu a quero tanto a ponto de doer. Eu me movo rápida e furiosamente dentro dela, minha respiração está  dura em seu ouvido, com o seu corpo respondendo, acolhendo, desejando, e regozijando-se  com o sentimento. Ela me encontra impulso por impulso, sincronizados, uma harmonia perfeita. Eu me sinto triunfante pela minha conquista, e eu aumento a minha velocidade e empurro nela mais uma vez, encontrando a minha libertação, eu me imobilizo enquanto respiro através de meus dentes. Eu relaxo só por um minuto, dentro dela, o meu peso suportado por ela debaixo de mim. Mas eu posso senti-la tentando se mexer e girar de modo que ela também possa atingir o clímax, mas eu não vou deixá-la. Eu quero que ela fique frustrada como ela me frustra por não falar comigo, por me negar  o que é meu, e por me fazer desejá-la dia e noite.

Eu saio de dentro dela em um instante, enquanto ela me olha com uma fome dolorosa de mim. Eu a olho fixamente.

"Não toque a si mesma. Eu quero você frustrada. Isso é o que você faz para mim, não falando comigo, negando-me o que é meu," eu sibilo, meus olhos brilhando com a raiva que está aumentando em mim novamente. Ela concorda com a cabeça em resposta.  Levanto-me, e removo a camisinha, e amarro  a ponta dela. Meus olhos estão sobre ela. Ela olha para mim, a respiração ainda é errática porque ela não encontrou a sua libertação, e frustrada, ela aperta as coxas, sem um alívio. Eu fecho meu ziper, passando a mão pelo meu cabelo, e pegando meu casaco do chão. Quando eu volto a olhar para ela, estou me sentindo muito melhor, e vê-la suaviza a minha expressão.

"É melhor voltar para a casa", eu digo enquanto  ela se senta, tentando encontrar o seu equilíbrio.

Eu entrego-lhe a calcinha que estava ocupando o meu bolso. "Aqui. Você pode colocá-la," eu digo, sabendo que ela a conquistou de volta. Ela a pega solenemente, e a coloca. Nesse instante, ouvimos, "CHRISTiAN".  É Mia gritando meu nome lá de baixo.

Viro-me e olho para Anastasia com as sobrancelhas levantadas, irritado com a minha irmã.

"Bem na hora. Cristo! Ela pode ser realmente irritante. "

Anastasia carranca de volta para mim, tentando consertar a calcinha, o vestido, e alisar seu cabelo recém-fodido. Logo que  ela está em ordem,  " Aqui, Mia," Eu chamo por ela.

"Bem, Srta Steele, me sinto melhor por isso, mas eu ainda quero bater em você", eu digo baixinho.

"Eu não acredito que eu mereço,  Sr. Grey, especialmente depois de tolerar seu ataque não provocado", ela diz me ferindo.

"Não provocado? Você me beijou! " Eu digo chateado, parecendo ferido. Ela franze os lábios.

"É só por que o ataque é a melhor forma de defesa", ela sussurra fervorosamente com os olhos arregalados.
"Defesa contra o que, pode me dizer?" Pergunto incrédulo.

"Você e sua palma nervosa", ela responde com a boca inteligente. Inclinando a cabeça para um lado, eu sorrio para ela, finalmente, enquanto Mia sobe as escadas.

"Mas era tolerável?" Eu pergunto baixinho. Ela cora em resposta, "mal", ela sussurra.

"Ah, aí estão vocês!" Mia diz sorrindo para nós.

"Eu estava mostrando a Anastasia os arredores, eu digo,  estendendo minha mão para Anastasia, olhando para ela com olhos intensos. Anastasia coloca a mão na minha estendida, e eu dou-lhe um aperto suave, e a corrente que vem com a nossa conexão começa a fluir.

"Kate e Elliot estão prestes a ir embora. Você pode acreditar nesses dois? Eles não conseguem manter suas mãos longe um do outro," Mia vibra com um falso desgosto em sua expressão e ela olha para mim e Anastasia.

"O que vocês estavam fazendo aqui?" Ela pergunta sem rodeios, sempre o narrador  sem filtro que ela é, fazendo Anastasia corar. Talvez esteja  faltando a parte do cérebro da minha irmã que censura o que ela fala.
"Eu estava mostrando a Anastasia meus troféus de remo", eu digo, sem perder uma batida, e não revelando nada. Então eu viro para Anastasia e digo: "Vamos dizer adeus a Kate e Elliot."

Eu a empurro gentilmente na minha frente, e logo depois que a minha irmã sai da sala, eu bato no traseiro de Anastasia que está muito surpresa com a minha ação.

"Eu vou fazer isso de novo, Anastasia, e em breve," Eu a ameaço tranquilamente em sua orelha, em seguida, puxo-a para o meu abraço, as suas costas na minha frente, e eu beijo seu cabelo.

Quando voltamos para casa Kate e Elliot estão se despedindo dos meus pais. Kate abraça Anastasia forte  enquanto eu aperto a mão do meu irmão. Elas sussurram fervorosamente uma para a outra em segredo. Depois de sua saída, eu viro para Anastasia e digo-lhe: "Devemos ir também. Você tem duas entrevistas amanhã. "

Minha irmã, claro, abraça Anastasia firmemente enquanto nós dizemos nosso adeus. Para superar o constrangimento, ela diz, "Nós pensamos que ele nunca encontraria ninguém!" Tenha um pouco de confiança em mim! Reviro os olhos para a minha irmã enquanto Anastasia cora novamente, mais vermelha que a bandeira chinesa. Ela franze os lábios para mim por alguma razão.

"Cuide de si mesmo, Ana querida," minha mãe diz docemente a Anastasia.

Estou completamente conquistado por esta atenção concedida a minha mulher. É incrível como ela desarma as pessoas com pouco ou nenhum esforço de todo. É injusto. Todo mundo está seduzido e cativado por ela. Eu agarro a mão de Anastasia, e a puxo para o meu lado.

"Não vamos assustá-la  ou mimá-la com muito carinho", eu resmungo.

"Christian, pare de provocar" minha mãe me repreende. Quem está provocando? Ela já é desobediente para mim. Ela não tem um único osso obediente, e não é boa submissa, e apesar de tudo isso, ela me cativou mais que tudo o que já me alguma vez me cativou. Prestar atenção demais nela seria em meu detrimento. Minha mãe me ama claramente - o que eu sinto não merecer. Estou confuso, fodido, e não sou digno de seu amor, mas de alguma forma ela tem algum carinho por mim. Eu me curvo para beijá-la sem jeito.

"Mãe," eu digo com reverência. Esta é a mulher que salvou a minha vida. Como eu não poderia reverenciá-la? Mas, ainda assim, eu não me sinto merecedor de tudo que ela fez por mim.

"Sr. Grey, adeus e obrigado, " diz Anastasia estendendo a mão ao meu pai, que a abraça de volta!

"Por favor, me chame de Carrick. Eu espero ver você de novo, muito em breve Ana ", diz ele. O que ela está fazendo para todos e como é que ela está fazendo isso tão facilmente?

Depois de nosso adeus, eu levo Anastasia para o carro onde Taylor está esperando por nós. Ele abre a porta para Anastasia, e ela desliza de volta para o SUV. Eu falo brevemente com Taylor, e peço-lhe para colocar o seu iPod para ter alguma privacidade ao conversar com Anastasia. Eu entro no carro ao lado dela, e enfrento a minha mulher.

"Bem, parece que a minha família gosta de você também", murmuro com espanto.

Anastasia olha para mim questionando. Todo o seu rosto cai de repente com algum pensamento. Eu não sei o que ela está pensando ou por que ela está ficando chateada de repente. Ela olha para a estrada, e depois se vira e olha para mim. Eu estou olhando para ela.

"O que?" Eu pergunto. Eu quero saber o que a está preocupando. Ela está indecisa entre me dizer e não me dizer, pelo jeito que ela me olha. Mas ela toma sua decisão em favor de falar.

"Eu acho que você se sentiu obrigado a trazer-me para conhecer seus pais", diz ela em voz baixa, hesitante. "Se Elliot não chamasse Kate, você nunca me convidaria."

Estou completamente chocado com seus pensamentos. Eu lhe dei qualquer indicação de que eu não queria que ela viesse? Estou chocado, e eu inclino minha cabeça,  boquiaberto para ela.

"Anastasia, eu estou muito contente que você tenha conhecido os meus pais. Por que você está tão cheia de dúvidas? Você nunca deixa de me surpreender. Você é uma jovem mulher,  forte e independente, mas você tem esse pensamento negativo sobre si mesma. Se eu não quisesse que você os encontrasse, você não estaria aqui. Era assim que você estava sentindo o tempo todo que você estava lá? "

Ela toma uma respiração instável. É claro que estou contente que ela está aqui. Ela é minha mulher. Ela é minha, em todos os sentidos da palavra. Eu a apresentei como minha namorada para os outros. Eu a quero aqui. Anastasia fica ansiosa e seus olhos se movem para Taylor,   com relutância. Eu balanço minha cabeça, e me aproximo da dela.

"Não se preocupe com Taylor. Fale comigo, " Eu a tranqüilizo. Ela encolhe os ombros.

"Sim, eu pensei isso. E outra coisa, eu só mencionei a Geórgia porque Kate estava falando sobre Barbados. Eu ainda não tinha decidido", confessa. Sabendo que isto me faz me sentir muito melhor. Eu estava tão preocupado sobre ela querer fugir.

"Você quer ir e ver sua mãe?" Eu pergunto.

"Sim", ela responde com sinceridade. Eu olho para ela. Eu gosto muito dela, e há essa outra emoção, que não posso nomear, puxando as cordas do meu coração a cada momento. Sua ausência por alguns dias seria mais que frustrante. Eu não sei como lidar com isso. Eu quero estar onde ela está. Eu tomo a minha decisão e pergunto a ela:

"Posso ir com você?" Eu pergunto-lhe com sinceridade nos olhos. 

Baby Please Don't Go - Chicago
Ela fica chocada com a minha pergunta, "O que... han... Eu não acho que é uma boa idéia, " diz ela calmamente.

"Por que não?" Pergunto magoado.

"Eu estava esperando por uma pausa em toda a intensidade disso... para tentar pensar sobre as coisas", diz ela. Eu fico olhando para ela. Ela precisa de uma pausa de mim?

"Eu sou muito intenso?" Pergunto-lhe, ao que ela responde rindo.

"Para colocar no mínimo!", o que faz meus lábios se curvarem em um sorriso. É verdade que eu sou intimidador.

"Você está rindo de mim, senhorita Steele?  Pergunto brincando.

"Eu não ousaria, Sr. Grey", ela responde com seriedade simulada.

"Eu acho que você ousaria, e eu acho que você ri de mim, frequentemente."

"Você é muito engraçado", ela responde.

"Engraçado?" Eu quero saber que tipo de engraçado.

"Oh, sim." Ela diz.

"Engraçado estranho ou engraçado ha ha ha?"

"Ah... um monte de um e um pouco do outro", é a resposta dela.

"De que maneira?" Eu a sondo ainda mais.

"Eu vou deixar você calcular isso", ela me responde meio dormindo, meio acordada, com um sorriso tímido.
"Eu não tenho certeza se eu posso calcular sobre você, Anastasia," Eu digo com ironia. Mas eu estou preocupado que ela está tentando colocar uma distância entre nós dois, o que é preocupante. Ela está tentando fugir de mim. Eu tenho que saber. "O que você precisa pensar na Geórgia?" pergunto calmamente.
"Nós", ela sussurra simplesmente. Então, minhas preocupações não são imaginárias. Eu olho para ela, impassível, mas há uma preocupação se formando, e ansiedade dentro de mim.

"Você disse que ia tentar", murmuro.

"Eu sei", é a sua resposta simples.

"Você está com dúvidas?" Pergunto completamente preocupado, mas eu tenho que saber a resposta.

"Possivelmente", ela responde confirmando minhas suspeitas. Eu me mexo no meu lugar desconfortavelmente. Isso é ruim. Será que ela acha que eu sou ruim para ela? Eu a estou fazendo fugir de mim, por causa deste desejo intenso que tenho por ela? Eu preciso saber.

"Por quê?" Pergunto calmamente.

Ela olha para fora da janela, como se para escapar do meu olhar. Estamos nos movendo ao longo da estrada nos aproximando da ponte. A escuridão esconde  nossos rostos e nossos pensamentos, mas não a energia que está vibrando entre nós. Eu tenho que saber, eu estou morrendo de medo de que  vou perdê-la. Eu não acho que posso lidar com isso.

"Por que, Anastasia?" Eu a pressiono para uma resposta.

Ela encolhe os ombros, como que a dizer "nada", mas "nada" nunca é apenas "nada". É sempre "algo". Eu quero saber o que diz respeito a ela, o que ela quer, o que ela deseja, o que ela não está recebendo, para que eu possa trabalhar para corrigi-lo. Eu sei que eu sou fodido. Eu sei que ela quer mais. Eu quero saber o que isso significa para ela. Pego sua mão, e aperto.

"Fale comigo, Anastasia. Eu não quero perder você. Esta última semana... " Eu silencio. Ele apenas foi a melhor semana da minha vida... A Melhor. Era como se eu estivesse dormindo toda a minha vida, confinado de um modo particular, e ela despertou-me, me trouxe à vida, e se tornou a minha salvação. Ela não percebe que eu não posso viver sem ela agora. Eu não posso nem mesmo chegar a  dizer isso a ela. Eu sou muito indigno.

Estamos chegando perto do fim da ponte, e as lâmpadas da rua estão agora de forma intermitente iluminando as ruas escuras. Eu tenho um vislumbre da preocupação em seu rosto através da luz intermitente brilhando nele.

"Eu ainda quero mais", ela sussurra, e puxa seu lábio entre os dentes.

"Eu sei," eu digo. "Eu vou tentar." Ela pestaneja para mim, e eu solto sua mão e chego até seu rosto, puxando seu queixo para que eu possa liberar o lábio inferior do cativeiro de seus dentes.

"Para você, Anastasia, eu vou tentar", eu digo sinceramente. Estou completamente ligado a ela. Eu não posso imaginar perdê-la, não estar com ela seria como ter meu coração escuro arrancado. Mesmo o pensamento disto é como mil cortes, e eu sinto que estou lentamente sangrando em minha morte, sufocando na minha própria tristeza.

Com a minha declaração, ela desafivela seu cinto de segurança, atravessa o espaço entre nós, e sobe no meu colo, pegando-me completamente de surpresa. Ela envolve seus braços em volta da minha cabeça, e me beija longo e forte, e eu sou massa de modelar em suas mãos quando eu respondo em um segundo. Ela me conquistou completamente.

"Fica comigo esta noite", eu respiro em seus lábios. "Se você for embora, eu não vou vê-la durante toda a semana. Por favor. "  Eu imploro a ela. Eu preciso dela. Muito. Especialmente hoje... Eu não posso nem começar a imaginar não vê-la uma semana inteira. Será que ela tem alguma idéia de como é difícil para respirar e funcionar sem ela?

"Sim", ela concorda. "E eu vou tentar também. Eu vou assinar o seu contrato, " ela deixa escapar.

Eu não quero que ela faça isso. Não como estímulo de uma decisão momentânea. Eu olho para ela.

"Assine depois da Geórgia, baby. Pense nisso antes. Pense sobre isso firmemente, baby." Eu digo querendo dar-lhe todas as chances.

"Eu vou", ela responde e  viajamos agarrados um ao outro em silêncio por três ou quatro quilômetros.
"Você deve usar o cinto de segurança", eu sussurro para ela com desaprovação na minha voz, mas eu não quero deixá-la sair dos meus braços.

Ela fuça contra mim, seu nariz na minha garganta, e eu estou no céu pelo tempo que estou com ela em meus braços. Em paz e sereno. Eu tenho fortes sentimentos por esta mulher em meus braços, e eu não posso dar nome a eles. Eles são muito estranhos, muito dolorosos, às vezes, e muito cativantes. Mata-me pensar que ela pode estar escapando por entre meus dedos. Eu fecho meus olhos, e deleito-me com este momento. Muito em breve, chegaremos ao Escala.

"Estamos em casa", murmuro ao ouvido de Anastasia. Taylor abre a porta, e Anastasia agradece a ele timidamente. Quando eu saio do carro, eu percebo que Anastasia não tem uma jaqueta. Será que ela não possui uma? Isso me deixa chateado que as necessidades da minha mulher não estejam atendidas. Eu estreito meus olhos sobre ela, ela olha perplexa.

"Por que você não tem uma jaqueta?" Eu pergunto-lhe franzindo a testa. Eu tiro dos ombros minha própria jaqueta e envolvo-a sobre seus ombros.

"Está no meu carro novo", ela responde bocejando, meio dormindo. Sua resposta me faz sorrir. Isso mostra a sua aceitação de meu presente para ela, e que talvez ela está lentamente permitindo-me  cuidar dela.

"Cansada, Srta Steele?" Eu pergunto.

"Sim, Sr. Grey", diz ela timidamente, já que a estou provocando. "Eu fui persuadida de maneiras que eu nunca pensei possíveis hoje", diz ela fazendo-me ainda mais lúdico.

"Bem, se você for realmente sem sorte, Srta Steele, eu possa persuadir você um pouco mais," Eu prometo tomando-lhe a mão e levando-a para dentro do prédio.

Quando entramos no elevador, ela olha para mim. A energia neste pequeno espaço sempre fica palpável, e carregada de estática, mesmo se ela está meio adormecida.

"Um dia eu vou foder você neste elevador, Anastasia, mas agora você está cansada. Então, eu acho que nós deveríamos ficar numa cama ", eu digo

Tonight by Enrique Iglesias ft Lucadris

Mesmo que o desejo está explodindo para fora de mim para tomá-la, aqui e agora. Com a minha declaração, seu lábio bonito vai para os confins de seus dentes. Eu me inclino, e agarro seu lábio com a boca e o liberto de seu cativeiro suavemente. Eu lentamente o chupo fazendo sua respiração parar com a excitação. Ela retribui capturando meu lábio superior no dela, provocando-me, fazendo-me gemer. Mulher, vou  ter você quer você queira, quer não! As portas do elevador ding abertas, e eu pego sua mão e a puxo através do corredor.





10 comments:

Anonymous said...

Primeiro adoro a ultima foto é Perfeita...Segundo porque Christian achar se indigno de o amor entre a familia e a Anastasia só porque a sua mãe não cuidava dele?

Anonymous said...

Adoro esses capitulos,espeor que ponha mais capitulos esta semana....
O que é a Escala?

anne caroline godoi said...

Essebhomem vai pirar quando a Ana for para Geórgia... Não é a toa que ele vai atras dela...mesmo sendo aconselhado pela vadia velha.
Neusa obrigada,por está traduzindo rápido,vc é sensacional... Tudo esta perfeito,as musicas,fotos...

Catharina Oliveira Bastos said...

Mto do encamento que o Christian vê dos seus parentes pela Anastasia, é na verdade um encamento da sua família por ele, por enfim ele estar apaixonado pela primeira vez na vida. Claro q a família do Christian gostou da Ana, ela é jovem, bonita, suave, ela não ameaça, é dócil, adorável. Mas vê-lo amando é o que mais motiva o bem querer de Grace e Carrick por ela.
Como sempre, Eminé com um domínio total do personagem o guia pelo início da paixão, com todo o desconforto e insegurança q a constatação desse sentimento trás. Descobrir q vc não consegue mais se ver sem o outro, é assustador. Ainda mais quando se trata de um dominador, do mestre de seu universo, como é o caso do Christian.
Tenho uma certa pena pelo personagem da Anastasia, q se apaga muito quando a história é contada por essa força da natureza que é o Christian. Ele é irresistível, poderoso até em seus maiores medos. Parabéns Eminé vc tem feito literatura dessa história, e literatura das boas!!

Neusa Reis said...

Oi, Anonymus, que bom ver você sempre por aqui. ESCALA é o nome do prédio onde o Christian mora na cobertura.

Neusa Reis said...

Anne Caroline, você é muito fiel. Obrigada por estar sempre comentando e apreciando, sobretudo o trabalho da Emine. Estou sendo rápida porque quero acabar o livro 1 até o dia 20 de março. Será que eu consigo? Um abração e obrigada.

Neusa Reis said...

Catharina querida, o que dizer a você. Seus comentários são ótimos, bem no alvo. Eu penso igual, a maior felicidade é ver feliz quem você ama. Um pouco do sub, vc é feliz se o Dom estiver feliz. Rsrsrs... E a família dele está contente de vê-lo amando. E é isso mesmo, se a gente amou o Christian pelos olhos da Ana, imagina agora conhecendo sua alma e seu jeito de pensar e ser, dito por ele mesmo. Estou apaixonada totalmente. E realmente vai ser difícil outro POV Christian ganhar deste da Emine, nem a ELJames conseguirá. Bjs e obrigada.

Helena Bastos said...

Olha Neusa e Catharina, tbm acho difícil a E.L James fazer um outro POV Christian tão completo como a Eminé. Te confesso que as vezes gosto mais que o livro. Pois conseguimos entender muito melhor a história vendo deste ângulo aos olhos de Mr. Grey. Eminé está de parabéns!

Claudia Souza said...

Realmente, ainda mais apaixonada pelo Christian <3

Kaila Alekena said...

"Você me acha intenso?"
Não, magina intensidade só é apenas seu nome do meio Cristian Intenso Grey...
Com tamanha intensidade para uma garota tímida e inexperiente quem pode culpá-la de querer um espaço pra poder pensar?
E Cristian achando que Ana tem um sentimento de inferioridade em relação a ela própria e ele pensando-se indigno de ser amado por sua própria família?
Eminé depois que achou o fio da meada não o perdeu mais, parabéns! Neusa vc ver seus emails...? estou te questionando igual Cristian Gry faria hahahahahah